Twitter
LinkedIn
YouTube
RSS
Facebook

20 Anos – Provavelmente Não São Os Melhores Da Nossa Vida.

Aos 20 anos gozamos de energia e vitalidade e em regra geral é quando temos uma melhor saúde.

Com esta idade, todo o futuro está diante de si, mas na maioria dos casos, não tem nem ideia para onde se quer dirigir.

 

Aos 20 anos, supostamente, é quando mais pode desfrutar, mas o certo é que o conceito de desfrutar, provavelmente nessa idade esteja deturpado.

 

Ainda assim, temos a crença de que os 20 anos são a melhor época das nossas vidas ou pelo menos assim deveria ser. Mas esta ideia poderá não ser de todo a mais correcta.

 

Tenho 51 anos e desfrutei dos meus 20 anos, mas foi aos 30 quando de verdade desfrutei de forma “consciente”. Tenho amigos com 40, que asseguram que agora é que estão desfrutando da vida, muito mais que aos 20 ou 30.

Mas algumas pessoas dizem que os 50 estão sendo os melhores anos de suas vidas.

20 anos da nossa vida

Sempre dizemos que aos 20 anos é a idade ideal para assumir riscos e cometer erros. Pois podemos reparar esses erros e temos muito tempo pela frente para recuperar-mos desses fracassos.

 

Me dizia um amigo divorciado: “Com 20 anos enganas uma menina, ela se apercebe e te deixa e não se passa nada, amanhã conheces outra.

 

Com 40 anos enganas a tua mulher, ele se apercebe e te deixa, ficas sem casa, sem poder estar com os teus filhos e além disso te custa conhecer outra mulher para uma relação séria” (Sim, eu sei, os valores do meu amigo deixam muito a desejar). Leia Mais Clicando Aqui

Talvez Hoje Lhe Toque A Si – Venha Descobrir Aqui

talvez hojeJá sei, talvez hoje esteja cansado/a.
É complicado seguir o ritmo de uma vida que às vezes parece que se quebra, às vezes, inclusive parece que só se quebra para si, mas não é certo.

 

Há milhões de vidas destruídas e feitas em pedaços que se recompõem a cada dia. Milhões de asas quebradas que voltam a voar. Milhões de árvores com ramos nus que voltam a brotar.

 

Às vezes a vida o deixa nu e a solidão mais enfática lhe dá socos no estômago. E você não entende o porquê e não sabe como.
Por intuição sente que tudo tem um sentido e um ensinamento, mas lhe dói demasiado para pensar nisso.

 

Para os que vão pela noite dentro é mais complicado encontrar um raio de luz. Embora no final, creio, essa noite está aí para que possamos buscar a luz com mais garra. Como se de repente nos tivessem aberto uma janela para não dormirmos na hora de levantar.

 

Tenho pensado muito e por vezes mal. Tenho dado voltas em minha consciência aos obstáculos e ás noites que levamos a dentro, que não nos deixam brilhar e ver por onde vamos.

Me perdi mil vezes nessas noites, em mil noites distintas, mas com o mesmo perfume e angustia.

 

Eu as vivi a sentir-me tão pequeno que nunca acreditei ter força para abrir a porta e sair ao encontro da resposta. E afinal, considero que a noite se mete em si porque a necessita, porque necessitamos de escuridão para ansiar a luz e pisar a corda frouxa para amar a terra firme. Leia Mais Clicando Aqui

Os Outros E O Que Pensam De Nós

A Imagem de nós mesmos e o que os outros vêm ou percebem de nós.

os outros

O que pensam os outros.

A maior parte do nosso comportamento diário está dirigido a compreender como somos percebidos pelos outros.

 

A Universidade de Chicago, através de uma investigação, demonstra que para compreender melhor como somos vistos pelos outros, é necessário alterar o auto conceito, quer dizer: a imagem que temos de nós mesmos.

 

 Em demasiadas ocasiões, pensamos saber o que os outros pensam de nós, mas a maior parte das vezes se trata de uma percepção errónea. Leia Mais

A Culpa Ou A Responsabilidade – Como A enfrentar?

a culpaBuscar um culpado ou atirar com a culpa para alguém é reação típica quando algo não corre como deveria.

 

Às vezes este culpado é uma pessoa (“minha mãe nunca apoiou as minhas ideias”), às vezes é uma situação (“com todo o stress que tenho é impossível”), às vezes é a própria vida (“nos tempos em que vivemos…”).

 

Jogar a culpa contra alguém, ou algo, é um grande alívio, porque o isenta de qualquer responsabilidade. A culpa é do outro, você não pode fazer nada. “Que Oportuno”.
E ainda que a culpa seja sua, tampouco não poderá fazer nada.

A culpa é algo que exige arrependimento e quiçá penitência, com a esperança de que um dia lhe seja concedido o perdão.

Entretanto, o sentimento de culpa o mantem ancorado ao passado enchendo o presente de dúvidas e emoções negativas. Leia Mais…

Viver Com A Pratica De Ser Conscientemente

viver conscientementeViver de maneira consciente significa tentar ser consciente de tudo o que tem que ver com as nossas ações, propósitos, valores e metas ao máximo das nossas capacidades, sejam elas quais forem.

E nos comportar-mos de acordo com o que conhecemos.

O preço de não viver conscientemente, é uma diminuição importante em nossa eficácia pessoal e do respeito sobre si mesmo.

A auto estima é a reputação que chegamos a ter para com nós mesmos.

A pratica de viver conscientemente tem que ver muitissimo com o primeiro hábito das pessoas altamente eficazes:

Ser proativo: recordemos que as pessoas proativas desenvolvem e usam quatro dons únicos, dois dos quais são a auto consciência e a consciência, deste modo, ao viver conscientemente estamos também ajudando a desenvolver nossa proatividade.

O viver de maneira consciente é viver sendo responsável perante a realidade, quer gostemos ou não do que vemos, o importante é reconheçer que: o que existe, existe e o que não existe, não existe. Leia Mais…

Amigo-Qual O Verdadeiro Significado Da Palavra Amigo?


amigoO “Filósofo” Sócrates construia uma pequena casa, nas imediações de Atenas, quando algumas pessoas lhe perguntaram para que serviria essa minúscula habitação. 
Ele Respondeu que era para receber um amigo ou amigos.

Admirados, replicaram que ali não ia caber quase ninguém, então, com a sua tradicional e fina ironia, Sócrates respondeu:
Quem me dera eu a poder encher!

Os amigos são assim:

Os poderá contar com os dedos de uma mão e sempre irão sobrar dedos. Por isso talvez você não tenha muitos, mas, os que tem sempre serão suficientes para preencher sua alma.

Um amigo é como a pérola evangélica: quando você a encontra, vai e vende tudo com o intento de a possuir. Um amigo não é um irmão de sangue, mas sim do coração.

Por isso um irmão pode ser teu amigo mas, um amigo sempre será teu irmão.

Um amigo sempre estará aí, mesmo quando não for necessário.
Você precisa de um amigo porque o quer, não o quer porque o necessita.

Com os seus conhecidos, você fala, com os seus amigos se comunica.
Um conhecido o/a ouve, um amigo o/a escuta e o mais importante é que não o/a escuta com os seus ouvidos, mas sim com o seu coração. Leia Mais…

Machado Afiado Pela Ultima Vez? Quando Afiou O Seu Machado?

REFLEXÃO: QUANDO AFIASTE O TEU MACHADO PELA ÚLTIMA VEZ?

Era uma vez um lenhador que se levantou e pegou no seu machado para ir trabalhar numa empresa madeireira. O salário era muito bom e as condições de trabalho eram ainda melhores, então o lenhador se preparou para fazer um bom papel.

machado afiadoNo primeiro dia foi apresentado ao capataz, que lhe deu um machado e lhe atribuiu uma determinada área da floresta para cortar.

O homem, animado, saiu para a floresta para cortar árvores. Num único dia conseguiu cortar dezoito árvores!…

Parabéns! disse o capataz, continua assim. Animado pelas palavras do capataz, o lenhador decidiu melhorar seu próprio desempenho durante o dia seguinte.

Então, naquela noite ele foi para a cama muito cedo e na manhã seguinte, ele levantou-se primeiro que todos os outros colegas e foi para a floresta.

Apesar de todos os seus esforços, não conseguiu cortar mais do que quinze árvores.

(Eu deveria estar cansado) – “pensou ele” e decidiu ir para a sua cama ao pôr do sol.

Ao amanhecer, levantou-se decidido a bater a sua marca pessoal de dezoito árvores. No entanto, nesse dia não conseguiu cortar nem a metade.

No dia seguinte foram apenas sete, depois cinco, e no último dia levou a tarde toda tentando o abate da sua segunda árvore.

Inquieto pelo que diria o capataz, o lenhador foi falar com ele sobre o que estava acontecendo e jurou “sob perjúrio” que se estava esforçando para além dos seus próprios limites máximos.

Então o capataz perguntou-lhe: ‘quando foi que afiaste pela última vez o teu machado?.

Para Ler Mais Clique Aqui


Copyright © 2011 - Todos Os Direitos Reservados - Victor Pinto